Em deriva

Deixei a Nave de Kika perdida no espaço. Andei sem tempo, sem motivação para comandar essa nave.

Tenho trabalhado muito para poder manter a vida. Esta muito difícil às coisas para o meu lado. Desde que meu marido morreu, há oito anos, que tudo na minha vida virou de ponta a cabeça. Desenrolar todo esse novelo tem sido difícil e apesar do tempo ainda não consegui chegar à ponta do fio desse novelo.

A minha vida tem sido em etapas. Primeiro tive que superar a depressão, a solidão e a doença. Depois tive que sair em campo de trabalho, para liquidar as dívidas deixadas por meu marido e suprir as necessidades financeiras do lar.

A procura por trabalho foi abarrotada de preconceitos, pela idade, pela falta de experiência e oportunidades.

Aprendi a viver com muito pouco e a driblar todas as dificuldades, empurrando-as com a barriga como dizia minha velha mãe.

Tirei coragem do fundo da alma e encarei todas as questões necessárias e venho encarando-as até hoje, deixando a humilhação de lado e seguindo da melhor forma possível.

Também lutei pelo respeito, pela dignidade e credibilidade. Aprendi a superar a falta dos amigos, que sumiram junto com o falecimento de meu companheiro e a fazer novos amigos.

Percebi com naturalidade que os amigos eram oportunistas e vi amizades verdadeiras em pessoas que eu nunca julgava uma relação correta.

Mudei a minha maneira de ser, aboli coisas que julgo sem importância, me tornei menos amável, menos sentimental, menos romântica e vivo um dia após o outro, sem esperar muito e confiante que vou sempre dar um jeito.

Meu marido falecido lutou para me deixar bem, acreditou ter me deixado um lar, uma boa pensão e todas as despesas supridas. Porém, sua família querida, contestou tudo e hoje temos uma disputa na justiça brasileira que sinceramente o fim esta ainda muito longe.

Família esta, em que estou na ponta da mesa, nos álbuns de retratos, nos casamentos, batizados, enterros e conquistas. Família que me demonstrava afeto, respeito e atenção. Tudo mudou quando viram bens materiais em questão. Levando-me a falência, doença e necessidades básicas.

Uma família rica, possuidora de um bom patrimônio, possuindo bens móveis e imóveis e com as linhagens já formadas e educadas. Não havendo necessidade que querer o meu quinhão.

Quinhão esse, adquirido pelo meu marido e por mim, trabalhando dignamente dia após dia e que pertence a meu filho e a mim, por direito, por justiça e por dignidade.

Foi a maior decepção da minha vida!

Enquanto a lenta justiça não julga, vou descendo e subindo as ladeiras de forma digna e apropriada, aproveitando um tempo entre o trabalho (fora e o de casa), para escrever na nave de Kika, amenizando assim pensamentos tortos e sucumbindo a vontade de chutar o balde e me mandar desse País de merda e tentar a vida, quem sabe, em um País mais digno onde o governo preze pela dignidade de seu povo, usando o dinheiro dos cofres públicos para beneficio geral da nação e que a Justiça seja realmente Justa e rápida.

Acredito que estou desculpada por deixar a minha tripulação sem nenhuma explicação e assegurar, para felicidade do **Sr. Elion que voltarei sempre para o comando da Nave de Kika.

Um abração a todos e até mais!

 

** S.R. Elion (Leia a matéria passada, intitulada a Nave de Kika). Vou postar novamente para os preguiçosos.

Kika

About Kika

Meu nome já não importa, mais meu apelido é Kika. Sou carioca da gema, do signo de peixes. Já passei da idade dos sonhos. Por incrível que possa parecer, ainda não descobri a minha missão e no momento não estou fazendo questão. Amo a natureza e todos os seus habitantes. Gosto de ir ao cinema, ao teatro. Quase sempre escuto o bom Blues. Procuro sempre me manter ocupada, isso me faz esquecer os problemas e a solidão. Não gosto de situações aborrecidas e tediosas e muito menos ter que ser simpática quando não o quero ser e nunca me importo com o que falam de mim ou pensam ao meu respeito. Sou direta e nunca faço rodeios. Tenho vários defeitos e não faço questão de corrigi-los. Sou assim e pronto! Desejo que você goste da minha NAVE e qualquer contato é só deixar o seu recado que eu retorno. Muita paz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>