A dança das cadeiras continua…

A saída do ex-ministro da defesa Nelson Jobim, confirmado pelo Palácio do Planalto é a evidência lógica e clara dos acontecimentos negativos do governo Dilma. Jobim teve sua cabeça pedida depois de ter feito críticas, nada elegante, ao governo e em especial a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti. Não foi a primeira vez que Jobim causa desconforto à presidente Dilma.

A dança das cadeiras começou com Palocci, protagonizando no primeiro escalão do Governo Federal. Na era FHC e Lula são notáveis as tentativas de abafar as denúncias de corrupção, sem dar prioridades às investigações honestas e claras. O então ministro-chefe da Casa Civil deixou a função, bombardeado por denúncias, de ter usado informações privilegiadas para prestar serviços de consultoria a empresas, fazendo assim aumentar seu patrimônio em vinte vezes.

Reportagem publicada pela revista Veja apontou a existência de esquema de superfaturamento de obras e recebimento de propina por parte de funcionários do Ministério dos Transportes e de órgãos vinculados a ele, como o Dnit.

É espantoso como se move os bastidores da política brasileira. Precisou a Revista Veja e outros meios de comunicação, fazerem denuncias de várias corrupções no Governo Dilma, que já vinha se arrastando no governo Lula. O Sr. Jose Dirceu foi denunciado sobre o tráfico de influências e não houve repercussão.

A Comissão de Ética que empurra com a barriga qualquer investigação, também deveria ser investigada.

Alfredo Nascimento ex-ministro dos Transportes e sua família têm negócios em áreas diversas em Manaus e com isso tinha uma grande facilidade de ficar muito próximo dos cofres público, a grande e suculenta teta, onde a boca dos vigaristas briga por quem vai sugar primeiro e em maior quantidade. Tetas essa, cujos doadores de leite, somos nós brasileiros, que estamos desnutridos, doentes, ignorantes, e a mercê da bandidagem.

Uma cambada de marginais, sugadores do poder público, que com a maior cara pau, vai para os meios de comunicações afirmarem que nada roubou, ou melhor, dizendo sugou, deixando nossas tetas murchas, enquanto aumentam suas condições financeiras, pedindo demissão dos seus cargos, sem serem investigados e muito menos obrigados a devolverem o leite surripiado nos deixando a mercê de um poder público desonesto.

Esse é o nosso Brasil, onde os únicos prejudicados somos nós, trabalhadores humildes e honestos que pagamos nossas contas em dia sobre a ameaça clara e covarde de ter nossos nomes penhorados em listas de inadimplentes nos impossibilitando até de conseguirmos trabalhos.

Esse é o Brasil onde o serviço público básico para nós batalhadores e sobreviventes não funcionam nos deixando a mercê da sorte e da piedade dos mais abastados.

É o país que humilha seu povo, que massacra e nos desrespeita e mesmo assim vamos para as urnas e colocamos no poder esses miseráveis.

É o país dos Eike Batista, da Globo, das mulheres melancias, do futebol de Ronaldo fenômeno, do carnaval e da Pizza.

Pois é assim que tudo termina nesse país.

Uma cerveja gelada, uma bunda, uma bola rolando e muita pizza!

Kika

About Kika

Meu nome já não importa, mais meu apelido é Kika. Sou carioca da gema, do signo de peixes. Já passei da idade dos sonhos. Por incrível que possa parecer, ainda não descobri a minha missão e no momento não estou fazendo questão. Amo a natureza e todos os seus habitantes. Gosto de ir ao cinema, ao teatro. Quase sempre escuto o bom Blues. Procuro sempre me manter ocupada, isso me faz esquecer os problemas e a solidão. Não gosto de situações aborrecidas e tediosas e muito menos ter que ser simpática quando não o quero ser e nunca me importo com o que falam de mim ou pensam ao meu respeito. Sou direta e nunca faço rodeios. Tenho vários defeitos e não faço questão de corrigi-los. Sou assim e pronto! Desejo que você goste da minha NAVE e qualquer contato é só deixar o seu recado que eu retorno. Muita paz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>