Você é Mimadinha!

depressãoEstive numa deprê intensa. Daquelas de querer ficar só no quarto no escuro escutando um blues, para deixar rasgar o peito mesmo.

Tudo começou com uma indisposição. Na volta do trabalho, foi ameaçador. Achei que nunca chegaria à minha casa, tamanha a minha indisposição. Quando avistei minha cama, deitei nela de roupas, sapatos e ate os óculos de sol na cabeça. Coisas de Kika pirada mesmo. Eu só queria dormir, o que fiz por 24h. Acordei no sábado com o celular, uma amiga convidando para irmos à praia. Praia era a última coisa que eu queria naquele momento. Precisava mesmo era de um café forte e quente. Sabedora que não tenho mordomias, dirigi-me a cozinha para providenciar o pretinho.

CARACAS!!!!!!

Eu tive vontade de morrer, de correr! A cozinha estava uma desordem generalizada. Louças sujas na pia cantando “Amélia é que era mulher de verdade.” O lixo saindo pelo latão, o chão todo respingado de sei lá o que. Não havia um copo limpo. Caixas de pizza jogada no tanque, a toalha de enxugar as mãos na caixa de areia da gata que sem pudor cagou em cima, as formigas dançavam Michael Jackson ao som de Thriller e a comida estragada em cima do fogão, exalando um cheiro terrível.

Bicho!!!! Tive um misto de ódio, desespero, choro, agonia e uma vontade imensa de cometer um crime de morte. Isso mesmo! Assassinar o camarão.

Como é possível uma única pessoa, no caso meu filho, fazer tanta bagunça e ainda sabedor que eu não estava bem?

Fui eu quem deu o vinagre na cruz para Jesus Cristo. Só pode ser!

O bom disso tudo é que a cafeteira estava intacta, limpinha, o que pude saborear meu café, ruminado uma tragédia. Eu podia visualizar minha foto no jornal sanguinário, com o seguinte título:

“Mãe desesperada mata todo mundo e morre afogada na xícara de café preto”!

Bem… Não será necessário dizer que arregacei as mangas e coloquei a máquina de lavar pratos a todo vapor. Tudo limpo, ainda tive forças para fazer uma salada e hamburguês. Mandei uma aspirina pra dentro, vomitei a vingança na pia e voltei a dormir.

Ao acordar eu estava imensamente triste. Uma tristeza na alma mesmo. Uma sensação de alma perdida. Alguma coisa me dizendo que não estava valendo a pena viver. O choro saudoso fechava a minha garganta, as lágrimas escorriam pelo meu rosto. Tive vontade de sumi do mapa literalmente. Pegar minha bolsa e sai sem rumo, sem direção.

E foi o que eu fiz. Andei por ruas e vielas, parques e jardins, igrejas e templos e anoiteceu. Tive que voltar pra casa e o assustador é que ninguém deu por minha falta. A casa estava vazia e silenciosa. Deitei na minha cama e fiquei pensando no escuro:

– Eu não estou feliz!

– Trabalho muito e me divirto pouco.

– Não amo mais o apartamento em que moro.

– Detesto meus trabalhos.

– E cansei de ser o alicerce para muitos.

Quero dengo, quero colo, quero beijo.

Na manhã seguinte levantei ainda MAUS e a coisa ficou pior. Meu filho e eu discutimos. A coisa ficou feia pela primeira vez. Meu filho aproveitou-se do calor da discursão e jogou na minha cara um monte de coisas e terminou com uma pérola que vou demorar a esquecer:

– Você é mimadinha… Mimadinha!!!! Viva a sua vida e me esquece!

Caros e amados blogueiros… Parei ali a discursão.

Toda a minha vida procurei ser uma mãe bacana, amiga. Nunca deixei de socorrer meu filho, mesmo quando ele estava em viagens. Todas as coisas boas da casa são exclusivamente para ele. Trabalho em dois empregos para manter a casa. Lavo e passo, cozinho e arrumo tão-somente para ele.

Quando meu marido faleceu eu fiquei muito mal. Adoeci, pirei mesmo. Mais por meu filho dei a volta por cima e peguei as rédeas da casa.

Sinceramente?! Eu não merecia tal tratamento.

Ele esta me confundido com as mães de seus amigos ricos, que não fazem nada na vida a não ser viajar e passear no shopping.

Bem… Melhor mimadinha que puta né não? Mais pensando com meus botões, se eu fosse uma puta mimada até que eu estaria bem de vida, pelo menos financeiramente. Não precisaria trabalhar tanto, juntaria o útil com o agradável.  Talvez ele desse mais valor. E olha que eu ainda dou um bom caldo. Uma sopa de osso buco para dar sustança. De qualquer forma já esta um pouco tarde pra isso.

Quem me mima?!

Eu mesma faço tudo por mim. Eu mesma cuido da minha casa, pois não posso mais contar com a ajuda da minha ex-escudeira Núbia?

Não posso apontar ninguém que faça alguma coisa por mim. Até mesmo um carinho, ou ouvir as minhas queixas ou lembranças que ainda queimam em meu peito.

Quem me mima?!

Nem os poucos amigos, familiares, seja lá quem for. Nem mesmo meu filho me da uma condição de mimo.

Fala sério! Me ajuda ai Ô!

Alguns me procuram por necessidades de algo, para obter alguma coisa e até mesmo para desabafar, escutar um conselho.

. Quem chega aqui para me mimar, me presentear ou me abraçar? Ou dizer:

– Vamos ter um papo descontraído.

– Como você esta?

Fala sério! Ele conseguiu pegar pesado.

Sabe amigos… Eu fiz aniversário no dia 14 de março! Sabem o que eu ganhei?

Nada!

Para dizer que não ganhai nada, ganhei sim. Um Creme para o corpo do meu amigo e porteiro Luiz.

Aqui em casa não veio ninguém! Meu filho levantou-se de mau humor, saiu para trabalhar com um simples estou indo.

Os sites de relacionamentos é que anunciaram o meu aniversário e os internautas deixaram lá as felicitações e por esse motivo é que ele lembrou-se que era meu aniversário.

O telefone não tocou. Nem mesmo as operadoras de cartão de crédito ligaram para cobrar a fatura em atraso.

Tarde da noite ele chegou e me convidou para jantarmos. Nem uma menção de felicitações. Um beijo, um carinho. Tive a impressão que fez por obrigação. Pelo menos pagou a conta.

Eu que proporcionei tantas festas surpresas para outros, programei jantares etc…

Descobri o quanto eu sou querida!!!!!!

Senti muitas saudades de meu marido. Mesmo com todos os seus erros, nunca deixou que eu me sentisse infeliz. Nunca deixou que alguém falasse comigo da forma que ele falou.

Tudo isso só me deixou mais triste, depressiva e com a vontade de ir embora. Tentar minha sorte em outro lugar. Já avisei a ele dessa minha ideia. Vou abdicar de muitas coisas. Mais pretendo ficar mais leve. Ele não disse nada e para mim quem cala consente.

Ele mesmo pediu para que eu vivesse a minha vida e é assim que eu vou fazer tão logo eu tenha condições financeiras, pois vou deixar a casa pra ele.

Amigos blogueiros, sejam bem vindos à nave e desculpa-me pelo desabafo.

Afinal… A Navedekika é para isso mesmo!

Boa sorte a todos!

 

 

Kika

About Kika

Meu nome já não importa, mais meu apelido é Kika. Sou carioca da gema, do signo de peixes. Já passei da idade dos sonhos. Por incrível que possa parecer, ainda não descobri a minha missão e no momento não estou fazendo questão. Amo a natureza e todos os seus habitantes. Gosto de ir ao cinema, ao teatro. Quase sempre escuto o bom Blues. Procuro sempre me manter ocupada, isso me faz esquecer os problemas e a solidão. Não gosto de situações aborrecidas e tediosas e muito menos ter que ser simpática quando não o quero ser e nunca me importo com o que falam de mim ou pensam ao meu respeito. Sou direta e nunca faço rodeios. Tenho vários defeitos e não faço questão de corrigi-los. Sou assim e pronto! Desejo que você goste da minha NAVE e qualquer contato é só deixar o seu recado que eu retorno. Muita paz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>