Por que os cemitérios são feios?

Não entendo porque os cemitérios são feios, sujos, perigosos e sombrios. Tá certo que lá é a morada dos queridos que já partiram para a Nova Pátria. Mas convenhamos que lá só permaneçam os ossos de quem partiu.

Segundo algumas religiões: O espírito vive! E com certeza não vive lá.

A maioria dos cemitérios que eu conheço, no Rio de Janeiro, me dá a sensação que morrer deve ser o pior castigo para o ser humano, contrariando o que muitos dizem que morrer é descansar.

Mês passado fui ao funeral de uma amiga no cemitério do Caju. Ao abrirem a sepultura para colocar o ataúde saiu de dentro tantas baratas que o povo todo correu. As baratas enormes e avermelhadas, subiam pelas pernas daqueles que estavam muito próximos da cova.

Diante deste espetáculo e do cheiro de podre que exalava por toda a necrópole, tive náuseas e senti muito nojo e pânico de morrer. Comuniquei sem demora ao meu filho para cremar meu corpo quando eu partir para a Nova e Desconhecida Pátria.

Também no funeral de meu pai, no São João Batista, cemitério nobre da zona sul, o cheiro era insuportável, obrigando aos amigos e familiares, que lá foram prestar as últimas homenagens a saírem e esperarem lá fora.

A verdade é que há muitos cadáveres em todos os cemitérios e o lugar não esta dando mais vazão de tanta gente que morre nesse mundo. Estão subindo com as campas pelos morros, fazendo gavetas de cimento mal feitas e pessimamente lacradas. Já vi restos mortais humanos jogados em cantos pelas quadras imensas desses cemitérios. Corredores tão grandes que até nos perdemos por lá.

Sem contar com a segurança que não há nos cemitérios. Não há quem possa orar pelos seus entes queridos sossegados, num dia que não seja o Dia dos Finados. Tudo é imenso e muito deserto nos cemitérios.

Aqui no Brasil as pessoas não tem o hábito ou a tradição de ir ao cemitério, a não ser no dia 2 de novembro (Dia dos Finados)

Também me impressionam muito os mausoléus e capelas com monumentos de mármores, dos ricos e poderosos.

Gente! O que é aquilo?

Jazigos de vários tamanhos com imensas imagens de santos e anjos, me dando a impressão que o falecido, precisa de proteção. Ao meu entender, bastaria uma homenagem póstuma para que a pessoa falecida possa ser lembrada.

Mausoléus suntuosos de famílias tradicionais e celebridades que são verdadeiras residências, com portões de ferros e cadeados, tornando o lugar ameaçador e frio, apesar de uma sinistra riqueza histórica.

Alguns túmulos estão esquecidos, deteriorados pelo tempo, outros exageradamente cuidados, com vasos de cristais e verdadeiras obras de arte, aguçando os gatunos de plantão do local.

A verdade é que esses cemitérios tradicionais estão relacionados intimamente com a igreja católica que tem como características construções em forma de mausoléus, que pela ação do tempo se deteriora, transformando-se em “monumentos fúnebres”, com aspecto de abandono, perigo e sujidade.

Deveria haver uma reforma em todos os cemitérios.  Sei que será uma tarefa grande, onerosa e com tempo indeterminado. Também reconheço que muitos familiares não iriam gostar de desabrigar os seus tão apegados ossos dos entes queridos. Também teria que ser reformulados por pessoas altamente competentes, trazendo assim um lugar prazeroso, iluminado, limpo e frequentado.

Alguns cemitérios modernos rompem com a imagem tradicional. Em Belo Horizonte, os mortos e seus familiares, já podem contar com um inovador cemitério. É o “Parque Renascer cemitério e crematório”, que foi inaugurado em 2000.

A estrutura do “Parque Renascer” foi desenvolvida com um projeto arquitetônico arrojado e inovador que reúne conforto e muito verde. Hoje é um dos mais bem equipados do Brasil.

O “Cemitério do Carmo” em São Paulo, também apresenta um conjunto paisagístico harmonioso, onde predomina a natureza, beleza, serenidade e respeito, tornando-se ainda propício para os momentos de reflexão.

No Rio de Janeiro, o “Cemitério Memorial do Carmo”, também reúne em um único edifício de cinco pavimentos, jazigos e nichos perpétuos, com infraestrutura de serviços. Mais ainda esta longe de ser um projeto arquitetônico, pois o local é de difícil acesso e foi construindo dentro do cemitério tradicional do Caju.

Esses são os que eu conheço, como um lugar inovador e com infraestrutura.

Eu ainda acrescentaria músicas clássicas e jardins para o lazer do dia a dia. Adoraria caminhar entre os túmulos lendo ou vendo as fotos, tentando adivinhar como aquelas pessoas viveram. Um cemitério onde os vivos caminham, leem seus jornais, escutam músicas, meditam, fazem ginásticas, oram pelos seus queridos ou simplesmente apreciam a beleza das flores e jardins. Onde os pássaros cantam e as árvores proporcionem sombras. Um lugar com segurança e que funcione 24 horas por dia e seja incrivelmente limpo.

Em fim, um lugar com qualidade de vida, tanto para os vivos quanto para os mortos.

Afinal… O espírito vive!

Essa sim seria uma verdadeira homenagem e moradia para os mortos!

Kika

About Kika

Meu nome já não importa, mais meu apelido é Kika. Sou carioca da gema, do signo de peixes. Já passei da idade dos sonhos. Por incrível que possa parecer, ainda não descobri a minha missão e no momento não estou fazendo questão. Amo a natureza e todos os seus habitantes. Gosto de ir ao cinema, ao teatro. Quase sempre escuto o bom Blues. Procuro sempre me manter ocupada, isso me faz esquecer os problemas e a solidão. Não gosto de situações aborrecidas e tediosas e muito menos ter que ser simpática quando não o quero ser e nunca me importo com o que falam de mim ou pensam ao meu respeito. Sou direta e nunca faço rodeios. Tenho vários defeitos e não faço questão de corrigi-los. Sou assim e pronto! Desejo que você goste da minha NAVE e qualquer contato é só deixar o seu recado que eu retorno. Muita paz a todos!

5 thoughts on “Por que os cemitérios são feios?

  1. miriangela

    Realmente miga, o renascer tem uma estrutura enorme, fica numa area verde ,muito grande, é fora de mão, quem não tem carro, para chegar até lá fica complicado, mas tem um problema, quando anoitece, é invadido por sapos, besouros, de todos os tamanhos, eles entram pelos velórios adentro, é um desespero, a Naila, ex companheira do Fábio foi velada e cremada lá , mas fiquei meio desesperada por causa dos bichos. Entrei em contato com eles por e-mail, informando do epísódio, e disseram que sempre estão detetizando (?) hãn, hãn , duvidei, mas, fazer o que né ?

  2. Sephiroth

    se quer transformar o cemitério em um shopping center ?

  3. E porque não! Nossos entes queridos ficariam felizes com toda a movimentação de alegria e beleza entre jardins floridos e paz!
    Tks pela visita e volte sempre

  4. Talvez, ao dizer que ela sente atração pelo interior deles, ela queria dizer que gosta de caras que parecem virados do avesso de tão feios!@ForeverAlone: Balada é uma amostra viciada para obter qualquer resposta conclusiva. Afinal, em um lugar onde as pessoas trocam beijos logo após se conhecerem não daria tempo de fazer qualquer análise mais profunda que a aparência.Gostei deste comentário ou não: 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>