Amy Winehouse – Vítima ou fatalidade?

Amy WinehouseSou amante do blues e jazz e naturalmente gosto muito da Amy Winehouse. Admiro sua voz de bluezeira/Soul e suas músicas. Apesar de toda a sua imagem ruim, afirmo que ela é uma ótima cantora e lamento muitíssimo a degradação de Amy fisicamente e mentalmente.

É deprimente até onde a pessoa, no caso de Amy, possa chegar. Vítima das overdoses e do álcool. Tenho receio que ela esteja buscando o caminho de partida sem volta. Nessa onda de drogados, está Jimi Hendrix, Janis Joplin, Sid Vicious e tantos outros talentos que se perderam, buscando realizações desconhecidas ou a tentativa de apagar um passado muitas vezes de abusos, intolerância, agressões , assim como o não menos talentoso Michael Jackson, que em minha opinião tentava ser uma pessoa diferente do que seu pai designou.

Amy Winehouse apontou na mídia, com uma aparência saudável. Não seria um mulherão propriamente dito e nenhuma diva da beleza. Mais Amy desfilava saúde e dona de uma poderosa voz, rouca e delicada. Hoje, o que vejo… Da aflição, ver um corpo desfigurado pela magreza, um rosto envelhecido e com ossos salientes, borrados pela maquiagem grosseira, á transformando em um farrapo humano, nos seus 45 ks. Apesar das suas roupas modernas e sapatilhas, um penteado imitando as divas dos anos 1960, que a transformou num ícone, teria tudo para dar certo se não fosse a sua complexidade com as drogas.

Em uma entrevista Amy Winehouse conta que nasceu em uma área suburbana de Southgate, bairro de Londres, numa família judia, Seu pai Mitchell Winehouse era motorista de taxe e sua mãe, Janis, farmacêutica. Amy passou a infância e parte da adolescência presenciando os abusos de seu pai perante sua mãe. Em 1983 o pai iniciou um romance com uma colega de trabalho casando-se com ela 1996. Amy e seu irmão presenciaram o sofrimento da mãe, levando-a ao consumo de drogas aos 18 anos.

Entendo que Amy é mais uma vítima da degradação da família pelos pais? É mais uma vítima como tantas outras que vemos no dia a dia por ações de maus-tratos, abusos físicos e verbais, alcoolismo e até abusos sexuais, por culpabilidade dos pais, tornando seus filhos em pessoas totalmente desequilibradas, assustadas e desorientadas, buscando, uma realidade inexistente nas drogas, nas bebidas e outras doenças psicológicas mentais.

Apesar de tudo Amy é um talento incrível. Uma cantora e compositora de jazz e blues como poucos, tanto que seu álbum Frank – lançado em 2003 foi muito bem recebido e o segundo álbum – lançado em 2006 – Black to Black, deu a ela seis indicações Grammy Awards, das quais venceu cinco. Já vendeu 505 mil cópias de seus dois discos anteriores no Brasil, segundo a revista semanal – Veja.

Fato é que, seus escândalos e suas imagens degradantes financiam um faturamento altíssimo para a imprensa que não lhe dá sossego e seu pai que de camarote descansa a sobra de sua imagem abocanhando o pedaço do filé, o que não contribui para que Amy sinta real necessidade de um tratamento sério e honesto, reavendo a sua saúde e sua imagem límpida.

Sinto profundamente uma tristeza ao ver Amy, um grande talento sendo empurrada vagarosamente para o abismo, sem direito ao pára-quedas.

Desejo a Amy que seja abençoada por todas as forças do bem e que o universo não cobre mais dela erros do passado que vem originando a sua degradação.

Sinceramente?

– Estou com muita pena e torço para que tudo dê certo para a Amy!

Amy winehouse

Kika

About Kika

Meu nome já não importa, mais meu apelido é Kika. Sou carioca da gema, do signo de peixes. Já passei da idade dos sonhos. Por incrível que possa parecer, ainda não descobri a minha missão e no momento não estou fazendo questão. Amo a natureza e todos os seus habitantes. Gosto de ir ao cinema, ao teatro. Quase sempre escuto o bom Blues. Procuro sempre me manter ocupada, isso me faz esquecer os problemas e a solidão. Não gosto de situações aborrecidas e tediosas e muito menos ter que ser simpática quando não o quero ser e nunca me importo com o que falam de mim ou pensam ao meu respeito. Sou direta e nunca faço rodeios. Tenho vários defeitos e não faço questão de corrigi-los. Sou assim e pronto! Desejo que você goste da minha NAVE e qualquer contato é só deixar o seu recado que eu retorno. Muita paz a todos!

One thought on “Amy Winehouse – Vítima ou fatalidade?

  1. Quasimodo

    Excelente artigo, me emociono do a voz de Amy. Como voce lamento as escolhas dela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>