Aeronáutica dança o Funk

Após se apresentarem como componentes da Base Aérea de Santa Cruz, zona oeste do Rio de Janeiro, soldados simulam hasteamento de uma bandeira de papelão e encerram a “brincadeira” dançando funk.

Até ai tudo bem!

Afinal, nossos homens das forças armadas precisam se divertir um pouco para descontrair a tensão severa de uma base militar. O agravante é fazer esse tipo de brincadeira, com uniforme das forças armadas e ainda com armamento pesado, reproduzindo dentro de uma unidade militar, cenas de bailes funk, condenáveis, onde armas dão status a bandidos e gravar em vídeo, sabendo com certeza que iria parar na internet.

Acho um desrespeito ao cerimonial de hasteamento do Pavilhão Nacional praticados por militares que deveriam dar o exemplo de patriotismo e respeito para que a confiança de uma nação não seja conspurcada, pois a segurança física e íntegra está nas mãos dos nossos homens que integram as Forças Armadas Brasileiras.

Acredito que esses atos de indisciplina e desrespeito ao cerimonial de hasteamento da Bandeira Nacional não refletem as normas, valores e padrões de comportamentos pelos militares da Força Aérea Brasileira, no cumprimento de seus deveres.

Sou favorável que haja uma apuração do mau exemplo dos soldados da Base Aérea de Santa Cruz, em inquérito Policial Militar, tratando-se de transgressão disciplinar, e que sejam aplicadas penas disciplinares, após a conclusão dos procedimentos legais e cabíveis.

Que sirva de exemplo também para as outras duas instituições nacionais brasileiras, como o Exército e Marinha Brasileira.

Diversão? Pode sim…

– Quando de folga do quartel e de suas obrigações militares.

Hino dos Aviadores Brasileiros

Letra: Cap. Armando Serra de Menezes
Música: Tenente João Nascimento

Vamos filhos altivos dos ares
Nosso vôo ousado alçar
Sobre campos, cidades e mares,
Vamos nuvens e céu enfrentar.

D’astro-rei desafiamos nos cimos
Bandeirantes audazes do azul
As estrelas de noite, subimos
Para orar ao Cruzeiro do Sul.

ESTRIBRILHO

Contacto! Companheiros
Ao vento, sobranceiros,
Lancemos o roncar
Da hélice a girar.

Mas se explode o corisco no espaço
Ou a metralha, na guerra rugir,
Cavaleiros do século do aço
Não nos faz o perigo fugir.

Não importa a tocaia da morte
Pois que a Pátria, dos  céus no altar,
Sempre erguemos de ânimo forte,
O holocausto da vida, a voar.

Kika

About Kika

Meu nome já não importa, mais meu apelido é Kika. Sou carioca da gema, do signo de peixes. Já passei da idade dos sonhos. Por incrível que possa parecer, ainda não descobri a minha missão e no momento não estou fazendo questão. Amo a natureza e todos os seus habitantes. Gosto de ir ao cinema, ao teatro. Quase sempre escuto o bom Blues. Procuro sempre me manter ocupada, isso me faz esquecer os problemas e a solidão. Não gosto de situações aborrecidas e tediosas e muito menos ter que ser simpática quando não o quero ser e nunca me importo com o que falam de mim ou pensam ao meu respeito. Sou direta e nunca faço rodeios. Tenho vários defeitos e não faço questão de corrigi-los. Sou assim e pronto! Desejo que você goste da minha NAVE e qualquer contato é só deixar o seu recado que eu retorno. Muita paz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>