O paraíso! Será?

Sr. Ami

Sr. Ami

Após uma triagem cansativa, onde ELA preencheu fichas e mais fichas, com nome, idade, estado civil, país de nascimento, pais de origem, números de filhos, quantos maridos ou esposas, quantos parentes falecidos e qual a causa da morte e qual o montante do valor de bens deixado após o desencarne, fora encaminhada para uma fila interminável.  Olhou o relógio de pulso para calcular quantas horas estaria esperando, fazia frio e por não ter tido tempo hábil não pegou nenhum casaquinho. Um senhor barrigudo com um turbante de gazes na cabeça puxou logo assunto: – Não adianta conferir o relógio. Aqui os relógios de camelôs não funcionam. Pelos meus estudos e conhecimento estamos aproximadamente duas horas em pé na fila.

– Vixi, tudo isso? Por isso estou cansada e com frio.

– O senhor sabe pra onde nós vamos?

– Isso é difícil de responder. Depende do que respondemos na triagem e do que fomos lá na…

Silêncio! Silêncio! Gritou um velhote baixinho de óculos de fundo de garrafa e com uma barba longa. Na mão ele tinha um laptop de última geração onde ele chamava os nomes e anotava não sei que. Usava uma túnica colorida e uma echarpe no pescoço.

Logo ELA perguntou para o barrigudo de turbante de gazes se ele era algum personagem de Caminhos das Índias.  O homem respondeu alguma coisa bem baixinho que não deu para Ela entender e logo se fez silêncio. Um Silêncio mortal onde nem mesmo passarinho cantava.

O tal velhote do laptop chamou por duas vezes o Sr Jean Michael Germaine Jackson. Logo, ELA entendeu que se tratava de Michael Jackson, porem ninguém apareceu, o que o velhote exclamou:

– Ô Barone onde esta o Sr. Jean?

– Ainda nu chegô seu Ami

– Pelos céus… Este senhor esta bem atrasado. Já deveria estar aqui há uma semana e meia.

– Pois é seu Ami, Recursos Humanos, informou que ainda não liberam o cara tem muitas criancinhas para se despedirem.

– Bem… Vou tirar ele da lista e mandar de volta para Recursos Humanos.

– Quem é o próximo da fila?

Logo se apresentou uma jovem senhora de cabelos longos e bem vestida.

– Sou eu!

– Qual seu nome minha filha. Perguntou o senhor AMI.

– Letícia Obrael

– Chegou quando?

– Acho que ontem à noitinha.

– Certo! Estou vendo aqui que você tem curso superior né?

– Perfeitamente senhor.

– Dirija-se para o setor B3 da apoteose das jovens senhoras e apresente-se ao Sr Abrão.

-Próximo da fila. Gritou o senhor Ami.

Apresentou-se um senhor bem vestido de terno de marca, segurando uma pasta.

– Qual o seu nome

– Dr. Jequiriça

– O Sr é médico?

– Não senhor, sou senador.

Sr. Ami olhou o sujeito de cima em baixo e perguntou: – Trouxe algum bem?

– Não. Somente esse Rolex.

Certo! Coloque o relógio naquela bandeja e dirija-se para o setor governamental na Explanada Norte.

Sr. Ami!!! Gritou uma senhora idosa. Trazia pela mão um jovem maltrapilho, descalço e com cara de doidão. Esse sujeito pulou o muro, driblou os seguranças e apontou no salão nobre dos intelectuais.

– Pelos Santos dos Santos! Quando você chegou meu filho?

– Sei lá veio. Tava numa parada com um brodi meu e não tava ligado na parada veio uns alemão e sacou da pistola e quando vi tava ali fora. O Mané ali não deixou entrar e ai escalei a lateral, agora to aqui, tá ligado?

– Que maneira peculiar de falar rapaz. Não entendi nada do que você falou mais aqui você não pode ficar. Chamou dois seguranças e mandou levar o rapaz para o furgão vermelho onde deveria encaminhá-lo para Hades.

Ela que a tudo via e ouvia perguntou para o barrigudo de turbante.

– O que é Hades?

Antes que pudesse responder, Sr. Ami  gritou:

– Próximo.

O barrigudo de turbante de gazes a empurrou e disse:

– É você.

– Pois não senhor. Disse Ela.

– Chegou quando?

– Hoje pela manhã.

O senhor AMI ficou por alguns minutos lendo a ficha dela no laptop.

– Hum… hum… hum…

– Vejo aqui minha filha que você não tem curso superior, certo?

– Certo.

– Também não tem profissão, certo?

– Não senhor! Como não tenho profissão?

– Sou mãe, sou viúva, lavo e passo, cozinho, limpo a casa, educo os filhos, sou doceira, professora da vida, faço milagres com o salário que ganho, carrego peso, falo ao telefone, dirijo automóveis, sou jardineira, pinto paredes, conserto encanamentos, e ainda trabalho como doméstica. E se por acaso algum valentão se meter eu enfrento.

– E isso é profissão?

– Então não é?

– Infelizmente a senhora esta no setor errado. A senhora vai ter que se dirigir para o setor de pesquisas e adequação.

– Por quê? Ela perguntou desesperadamente.

– Tô cansada, com frio, com fome e não tô entendendo nada disso aqui. E isso é preconceito.

– Minha filha, o pré e o conceito quem deduz aqui sou eu. O que houve com você para chegar aqui essa manhã?

– Sabe que não sei! Estava indo pro trabalho, o trem tava cheio e houve um estrondo. Lembro-me que cai por cima do povo, minha cabeça doeu e desmaiei. Quando acordei uma jovem vestida de enfermeira me colocou nessa fila e agora o senhor vem me perguntar o que aconteceu comigo!?

– De qual cidade a senhora veio?

– Do Rio de Janeiro mais sou do Nordeste.

– Virgem do Céu! Acho que tem uma confusão aqui. Barone! Gritou.

– Sim senhor Ami.

– A minha lista eletrônica não condiz com essa senhora. A mulher que deveria esta aqui é natural do estado de Alagoas e essa é nordestina habitante do Rio de Janeiro.

– Putz senhor Ami… É que em Alagoas o povo é difícil de largar o osso. O que fazemos, mandamos de volta para o lugar de origem?

O barrigudo de turbante de gazes sussurrou no ouvido dela.

– Vai não boba.  Aqui é o paraíso!

Kika

About Kika

Meu nome já não importa, mais meu apelido é Kika. Sou carioca da gema, do signo de peixes. Já passei da idade dos sonhos. Por incrível que possa parecer, ainda não descobri a minha missão e no momento não estou fazendo questão. Amo a natureza e todos os seus habitantes. Gosto de ir ao cinema, ao teatro. Quase sempre escuto o bom Blues. Procuro sempre me manter ocupada, isso me faz esquecer os problemas e a solidão. Não gosto de situações aborrecidas e tediosas e muito menos ter que ser simpática quando não o quero ser e nunca me importo com o que falam de mim ou pensam ao meu respeito. Sou direta e nunca faço rodeios. Tenho vários defeitos e não faço questão de corrigi-los. Sou assim e pronto! Desejo que você goste da minha NAVE e qualquer contato é só deixar o seu recado que eu retorno. Muita paz a todos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>